Primeira advogada trans negra de MS morre aos 22 anos

0
592
Alanys Matheusa
Alanys Matheusa (Foto: Divulgação/Arquivo Pessoal)

A comunidade LGBT+ do estado de Mato Grosso do Sul está em luto com a notícia do falecimento de Alanys Matheusa. Ela foi a primeira transexual negra do estado a se formar em Direito. O motivo da morte foi uma parada cardiorrespiratória no início da manhã de hoje (14).

Conhecida por seu engajamento com a comunidade LGBT+ e por levantar bandeiras sobre a população negra, pobre e da periférica, Alanys foi destaque do site The Intercept Brasil em uma notícia de 2019 onde contava sobre sua trajetória de lutas e resistência.

De acordo com a Secretaria de Municipal Saúde de Campo Grande (Sesau), a jovem deu entrada em uma Unidade de Pronto Atendimento após ser socorrida pelo Samu. Ao chegar na Upa, às 7h20 desta terça-feira, foi confirmada a morte por decorrência de uma parada cardiorrespiratória.

Alanys recém havia se formado no curso de Direito, em uma universidade particular, por meio do programa Prouni que possuía bolsa de 100%. Ainda durante o curso havia passado na prova da OAB.

Em entrevista para o site Campo Grande News, ela conta que escolheu direito para poder defender seus ideais. “A minha quebrada tem muito orgulho de mim e quero mostrar a elas que ser trans ou travesti, não significa que você só pode estar na esquina. Elas podem estar em outros setores da sociedade e fazerem a diferença”.

Sobre o ocorrido, o Fórum Estadual LGBT divulgou uma nota que dizia: “Essa conquista já nos dá a dimensão da sua trajetória de luta, militância e resistência. Ela definia-se como funkeira marxista, anti-capitalista e juíza em formação. Nesse momento de dor e despedida, manifestamos nosso pesar e solidariedade aos familiares e amigos”.

Nas redes sociais, o sentimento de tristeza é expressado por seus amigos e familiares. “Minha ex-aluna, um exemplo de superação e resiliência. Você deixou sua marca por meio da sua militância”, disse um de seus professores. “Sua garra, inteligência, competência, luta em todo aspecto da vida. Era uma pessoa iluminada demais”, expressou uma outra usuária do Twitter.

O Site Ong LGBT+ por meio desta expressa seu mais profundo pesar. Alanys Matheusa, apesar de sua curta jornada, deixou sua marca e entrou para a história. Nossos sentimentos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui