Aproveitando o Março Lilás e Azul Marinho, a Dra. Ana Thais e o Dr. Vinícius Lacerda falaram um pouco sobre o câncer de colo de útero e colorretal.

“O câncer de colo de útero é uma doença amplamente evitável. Sua prevenção pode ser feita facilmente por meio de um exame simples, barato e está disponível no SUS: o papanicolaou. O Câncer Colo é causado pela contaminação pelo Papilomavírus Humano, o HPV e é considerado uma IST (infecção sexualmente transmissível)”, disse a Dra. Ana.

“Muita pouca coisa se sabe sobre as infecções pelo HPV entre as mulheres que tem sexo com mulheres e menos ainda sobre homens trans. Ainda não existem dados sobre a incidência do câncer de colo cervical, distribuição e mortalidade nas duas populações citadas isso se dá porque os principais trabalhos científicos sobre o assunto não indagam sobre a orientação sexual e identificação de gênero das pessoas estudadas. Enquanto ISTs bacterianas necessitam da troca de secreções para se propagar, o HPV apenas precisa do toque entre as peles deixando assim lésbicas, mulheres bissexuais e homens trans tão abertos a sua infecção quanto qualquer outra população”, falou ainda.

“Alguns dados apontam que mulheres que tem sexo com mulheres e homens trans são menos testados como papanicolaou do que orientam os consensos e isso se deve à baixa frequências dessas populações às consultas com ginecologistas. Isso é compreensível quando nos deparamos com serviços de saúde despreparados para receber essas populações. Muitos são os relatos de tratamentos inadequados, desrespeito ao nome social, discriminação, rejeição e maus tratos do corpo clinico dos centros de saúde”, completou.

“O papanicolaou e a ida regular ao ginecologista ou ao médico de família e comunidade são os elementos chave para a prevenção e diagnóstico precoce do câncer de colo do útero, uma doença que tem, se detectada em estágios iniciais, tratamento e cura”, finalizou.

Dr. Vinícius Lacerda

“Esse mês também é lembrado como março azul marinho, de conscientização e prevenção do câncer colorretal. Esse câncer acomete o intestino grosso e o reto e é a 3º principal causa de morte por câncer entre homens e mulheres no Brasil. Suas causas são diversas, dentre elas obesidade, tabagismo, consumo de alimentos embutidos e histórico familiar. Deve se diferenciar do câncer de ânus e canal anal, cujo risco é maior em quem pratica sexo anal e tem infecção pelo vírus do HPV”.

“A prevenção desse câncer é feita por meio do exame de colonoscopia, que nada mais é do que uma câmera que percorre o seu intestino procurando o tumor e, caso o encontre, retira-se um fragmento dele para biópsia. A colonoscopia deve ser indicada a partir dos 45 anos de idade, a não ser que você tenha alguma queixa como sangue nas fezes ou emagrecimento, bem como histórico familiar de tumor de intestino”.

“O tratamento precoce desse câncer reduz significativamente as taxas de mortalidade e o risco de ficar com uma colostomia, que é a exteriorização do intestino através do abdome para eliminação das fezes. Portanto os exames preventivos devem ser realizados periodicamente conforme indicação para favorecer diagnóstico e tratamento precoces”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui